Governo Federal corta recursos para baratear preço do diesel

Com o objetivo de suprir as despesas vindas do acordo com os caminhoneiros, o governo federal vai reduzir incentivos fiscais para exportadores e as indústrias química e de refrigerante, cortar recursos em praticamente todas as áreas do governo, incluindo programas, e pôr em prática um programa de subvenção econômica à comercialização do óleo diesel. O objetivo é somar R$ 9,5 bilhões.

A medida provisória que estabelece o cancelamento de dotações orçamentárias em diversas áreas, como programas de fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS), concessão de bolsas, aquisição de áreas para a reforma agrária e policiamento de rodovias, entre outras, foi publicado ontem (31), no Diário Oficial da União (DOU).

No total, foram extintas despesas que somam R$ 1,2 bilhão. A meta é viabilizar recursos para o programa de subsídio do óleo diesel, que manterá preços fixos do combustível até o fim do ano.

Foi publicada também a lei, sancionada pelo presidente Michel Temer, que reonera a folha de pagamento de 39 setores da economia. A estimativa é que o impacto nos cofres públicos será de R$ 830 milhões. Os benefícios se estendem até 2020.

Entre as áreas e programas que foram atingidos com o corte no orçamento do Governo Federal, estão:
Pesca e Agricultura; Reforma Agrária; Ciência, Tecnologia e Inovação; Programas de energia elétrica; Vigilância Sanitária; Transportes; Transporte Aquaviário; Transporte Terrestre; Aviação Civil, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *