Fortaleza empata com CSA e adia título da Série B

O empate por 1 a 1 na noite desta terça-feira (6) foi frustrante para os 45 mil torcedores do Fortaleza que foram ao Castelão. A equipe comandada por Rogério Ceni saiu na frente e por muito tempo manteve o placar que lhe daria o título antecipado da Série B do Campeonato Brasileiro, mas o CSA conseguiu arrancar o empate e pôr água no chope tricolor.

Mesmo com o empate cedido, o Fortaleza tem uma mão no troféu. Com 65 pontos, tem sete de vantagem para o próprio CSA, que é vice-líder. Ao time tricolor, já garantido na Série A de 2019, basta um empate nas três rodadas finais para garantir o título — ficaria à frente dos alagoanos nos critérios de desempate. O CSA precisa de um único triunfo para também subir.

Tanto o Fortaleza quanto Ceni buscam seus primeiros títulos nacionais. O clube tem sala de troféus cheia de conquistas estaduais e regionais, mas nunca levantou taça em âmbito nacional. Já o técnico foi campeão da Florida Cup em 2017, com o São Paulo, mas agora tenta confirmar a taça da Segundona.

A partida desta terça mostrou um Fortaleza mais contido do que a torcida está acostumada. A equipe teve menos infiltrações do que em jogos recentes, mas soube ser paciente até abrir o placar aos 35 minutos. Após longa troca de passes frente ao CSA recuado, Jussani viu Dodô partindo em velocidade e deu assistência precisa para o camisa 10 marcar belo gol.

A vantagem desorientou o time alagoano até o intervalo. A proposta de se encolher e somente reagir ao Fortaleza não deu certo no primeiro tempo, no qual o CSA criou apenas uma chance. No segundo tempo, ao contrário, a partida foi mais aberta: Marlon quase ampliou para os donos da casa aos quatro minutos, e em seguida Rubens acertou o travessão e por pouco não empatou.

Na reta final, o jogo mudou de cara. O CSA passou a ter a bola, procurando espaços e forçando o Fortaleza a recuar. Hugo recebeu grande bola na área, mas bateu fraco e desperdiçou o empate. Depois, o mesmo Hugo dividiu com Marcelo Boeck na pequena área e viu o goleiro salvar a centímetros do gol. Na terceira vez, Hugo finalmente fez: empurrou a gol de peito após sobra de escanteio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *